sábado, 29 de novembro de 2014

Jogo das Referências – As Várias Dobras de Quito

Estarrecido de ouvir "Você escreveu márCio errado, ou foi de propósito?", Abc emerge de sua reclusão nas montanhas e revela todas as referências que usou na sua história no El Fanzine #4: A Canção de Quito 100 pernas"

E de antemão já avisa: o "S" foi de propósito!!


Antonio de Bellis, Apollo and Marsyas, séc. XVII


A principal referência para a história foi o Quadro acima. Que conta a história do sátiro MÁRSIAS que acha a flauta da Deusa Minerva (também conhecida como Deusa Atena, ou a mãe de Quito!!) e resolve desafiar o Deus Apolo numa rinha musical. Aquele que ganhasse poderia escolher o castigo do perdedor. Como vocês podem conferir pelo quadro: MárSias se Fu...!

"Muito triste. A história é uma tragédia"
Sim! É pra ser. Por isso é baseado numa tragédia Grega. Aliás, TRAGÉDIA significa literalmente "A Canção do Sátiro". Essa é a dica pra o título da história:

Quito é a minha representação de Sátiro, mas acredite, você já viu várias por aí!!
em Nárnia, sacou o motivo de Macvoy tocar flauta?

Você acha o Quito feio? Olha o que o Del Toro já fez!!

SATYR, de Percy Jackson também acha que é feio!

As referências grego romanas não param por aí. Reparem no título do capítulo em que Apolo aparece:

Já tinha ouvido DEUS EX MACHINA? Não está aí atoa!

Uma dica sútil para o leitor pescar que a história está cheia de referencias GRECO ROMANAS está nos uniformes dos times. Quito veste a blusa de seleção da GRÉCIA e Apolo veste do time italiano ROMA.



"Essas referências estão muito obscuras. Não podia ser uma mais popular?"
Eu até que tentei! Reparem nas imagens abaixo:
É claro que George Pérez desenha muito melhor.

E não é o único tributo ao Superman! Quase no final da história têm outro:
Pra entender a ausência do carro e do superman, só lendo a história do Quito completa.


"Não tinha pescado a do super, Abc. Podia ser ainda mais popular?"
Então, ok! Que tal JESUS CRISTO!! Abaixo você pode conferir uma imagem onde, logo no último quadrinho da primeira página, QUITO (recém nascido) imita o Todo Poderoso. Não me diga que achava que Jesus ou Quito faziam "paz e amor"?


As mãos nessa história tem uma forte representação. Se até agora você não pescou nenhuma, deposito minha fé de que a próxima você sacou:
Aliás, esse é a única imagem que ROMPE o quadrinho durante toda história. Quem já leu, vai entender o motivo.

Falando mais sobre o que está dentro dos quadrinhos. Prestem atenção como Quito tem sempre sobre sua cabeça um elemento da natureza querendo o destruir (chuva, nuvem, raio, trovão, árvore seca):

Acho que agora dá pra curtir um pouco mais a história, não? E ainda tem outras espalhadas pela revista. Umas que a gente dúvida que alguém encontre!
Você como o Sátiro da Disney, achou isso tudo muito louco? Comente aí embaixo!!


EXCELSIOR!!

domingo, 23 de novembro de 2014

FINCANDO BANDEIRA EM SP

No último final de semana (15 e 16 de novembro, caso você esteja se perguntando) rolou o tão esperado mega-evento-midiático BRASIL COMIC CON, em São Paulo, que reuniu sob o teto do Centro Pro Magno - ex-prédio da antológica e extinta revista Manchete - centenas de aficcionados por quadrinhos, cardgames, action figures, cosplay (MUITOS cosplayers), videogames e outras searas que compõem o vasto mundo do entretenimento nerd. E, como já noticiado neste blog que você acompanha fielmente, o EL FANZINE não ficou de fora e fincou sua bandeira pirata na (hoje seca) terra da garoa.
Os quatro autores do EL FANZINE fazendo história

 A quarta edição do ELF, quentinha saída do forno, teve seu lançamento oficial no evento, capitaneado pelos autores Abc e Tito Camello, que despencaram do Rio de Janeiro com suas mochilas abarrotadas de cópias do fanzine mais descolado do cenário independente dos quadrinhos nacionais. Como de costume, os autores adotaram a já conhecida prática do Marketing agressivo de guerrilha (trademark by EL FANZINE Ltda.) e venderam mais que ambulante na Uruguaiana em véspera de natal. O gibi também estava disponível para compra no estande dos nossos chegados da Korja dos Quadrinhos

edições 3 e 4 do EL FANZINE na mesa da KORJA...
...e no estande.
 Apesar de a Brasil Comic Con não ser uma convenção voltada prioritariamente para os quadrinhos (nesse quesito, fica anos-luz atrás do FIQ e da GIBICON), com um público-alvo bastante difuso e variado, mais interessado em ser fotografado ao lado de alguém trajando uma fantasia de algum personagem de videogame ou desenho animado japonês, o evento foi bem organizado - em um espaço bacana e amplo até demais - e teve sucesso naquilo a que se propôs. Não dedicou maiores atenções aos quadrinistas independentes (os estandes ficavam no cantão do andar térreo, escondidos atrás de estandes maiores de editoras mainstream), somente àqueles alojados nos estandes do "beco dos artistas", que dividiram espaço com artistas consagrados, como Mike Deodato Jr e Luke Ross. Isso acabou por prejudicar a exposição, e consequentemente as vendas, de muitos quadrinistas independentes. Apesar de tudo, o saldo foi positivo para o EL FANZINE, que não se prende a um espaço limitado por três paredes de compensado e parte para o contato direto com o público: segundo dados não oficiais muito provavelmente forjados - o que não significa que não sejam verdadeiros -  nenhum quadrinista independente vendeu mais que os autores do ELF no evento.  
Tito Camello e Abc, com nosso
chegado Luke Ross
Mike Deodato Jr já garantiu seu
exemplar do ELF4.

A fila pra comprar o ELF4 no estande da Korja era grande...
Não podia faltar o espírito transgressor cucaracha do ELF. Olha só o que os autores, juntos com o pessoal da Korja, aprontaram nas costas do estande de uma editora grande que encobria o campo de visão do estande dos independentes:


A todos aqueles que compraram seus exemplares na BCC diretamente com os autores ou no estande da Korja, nosso agradecimento. Por mais clichezenta que a frase possa parecer, a verdade é que você parar dez minutinhos para ler o EL FANZINE é o que motiva os autores a dedicar horas, dias e meses de suas vidas desenhando com suas caras enfiadas na prancheta.  

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

HISTORIETA DE QUINTA 50

por Abc

United Colors of El Fanzine

Hoje se comemora no Brasil o Dia da Consciência Negra, mas fuce os quadrinhos brasileiros consagrados e a maioria dos menos cotados e você vai encontrar raríssimos protagonistas negros. Nas páginas em preto e branco (e às vezes alguns tons de cinza) do El Fanzine, gibi que não é militante de porra nenhuma e que tem pés firmes na realidade apenas para tomar impulso para tentar saltos ficcionais, o Brasil - um país mestiço - aparece em todas as suas cores. Desde a primeira edição, personagens negros e mulatos não são apenas coadjuvantes ou "amigos do herói" mas também protagonistas, como nas histórias lembradas abaixo que aproveitamos para recomendar a quem ainda não as leu:

SAMBA DO DIABO (El Fanzine #1, por F. Montenegro, Rodrigo Nemo, Tito Camello e Jailson Chagas): a primeira história da primeira edição do El Fanzine tinha como protagonista um músico no Rio de Janeiro de meados do século XX envolvido em um pacto com o diabo.


Músico sonhando com fama e fortuna

CUSTO BRASIL (El Fanzine #3, por Rodrigo Nemo): entre os  protagonistas há um caminhoneiro e um casal prestes a ter o primeiro filho, presos entre uma enchente, uma estrada em frangalhos e um tiroteio entre assaltantes e policiais corruptos.


O caminhoneiro, a mãe e o pai de primeira viagem


A CANÇÃO DE QUITO 100 PERNAS (El Fanzine #4, por Abc): a história de superação é estrelada por Quito, um carpinteiro portador de deficiência que luta contra seus próprios limites para realizar o sonho de ser jogador de futebol.


Quito mostrando seu futebol moleque BATE PRO GOL, QUITO!!!


A lista nem leva em conta os diversos protagonistas negros das 'Historietas de Quinta', que você confere aqui no blog toda quinta-feira, mas aqui é assim: escolha um feriado e o El Fanzine terá garrafas para vender. Não por militância, não porque isso seja perseguido de forma consciente pelos autores para agradar os politicamente corretos, mas apenas porque temos a realidade como trampolim (curiosamente, há na crítica nacional quem imagine que tomar a realidade como ponto de partida signifique dedicar-lhe fidelidade absoluta; é assunto pra outro post, talvez...).

Feliz Dia da Consciência Negra para todos!

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

EU QUERO IBÁGENS!!!

Já é público e notório o fato de que o indivíduo que adquire uma edição do EL FANZINE diretamente na mão dos autores (nos diversos eventos de quadrinhos que rolam no país) é um baita de um sortudo. Além do melhor material independente disponível na fanzinosfera tupiniquim, o felizardo leva de cara sua edição autografada por um dos autores - ou por todos eles. Sabemos que só isso já é o suficiente pra te deixar pululando de alegria feito milho de pipoca no micro-ondas. 
Sim, sabemos o quanto você fica feliz!
Mas, para vossa alegria, os autores do EL FANZINE vão ainda mais longe! Se você adquirir qualquer edição do zine mais bacanudo já produzido na história (você já está careca de saber, mas mesmo assim vamos dar outra colher de chá: clique aqui para saber como comprar), vai receber uma ilustração exclusiva feita por um dos autores no seu envelope. 

 - Opa! Gostei disso! - Diz você, já bastante interessado. - Mas eu quero IBÁGENS, Comandante Hamilton!!!  

Se é ibágens que você quer, pega aí (já sabe, clique para ampliar):


Rodrigo Nemo sensualizando o caveirinha


Quito "correndo" para os Correios...

"EL FANZINE és correria, YO!!!"

Abc tentando cavar uma vaga em um famoso
estúdio brasileiro de quadrinhos 
 


Tito Camello feroz na produção...


O mestre dos sonhos aprontando...



Não precisamos esclarecer a referência nesse envelope
ilustrado por Rodrigo Nemo, precisamos?

Às vezes caolho, às vezes não. Vai entender...


     
O caveirinha do ELF vandalizando sem dor na consciência. Não façam isso em casa, crianças.

Sabemos que você está aí se coçando de vontade de adquirir uma edição do EL FANZINE só para ganhar um envelope com uma ilustração exclusivíssima como essas, para poder contar vantagem para aquele seu vizinho chato colecionador de quadrinhos.  Mas, caso ainda esteja em dúvida, seguem mais IBÁGENS de clientes espertos que já garantiram seus exemplares:

Eberton Ferreira (RJ) exibe o troféu
Nanda Bender (RS) com o EL FANZINE 4

Fábio Firmino (AL) não resistiu e comprou logo todas as edições. Esse cara é esperto!
O que você está esperando pra comprar o seu?
a) o apocalipse? (Desencana, porque 2012 já passou)
b) a Copa do mundo no Brasil? (Já foi também. E você nem vai querer lembrar do resultado)
c) o messias prometido (A menos que você seja hebreu, ele já chegou há mais de 2.000 anos)
d) a Black Friday (Está perto, mas você não vai ter grana, já que vai estourar tudo no novo iPhone)
e) não estou esperando nada. Vou comprar o EL FANZINE agora mesmo!

Abraços!